Uma Organização Desorganizada

O ato de se organizar algo não requer padrões determinados, mas, depende de fatores que, tem a ver com a própria morfologia dessa palavra, como a “ação ou efeito de se organizar” x “estado do que se acha organizado”.

Disso depende a disposição para fazer com que, o que se deseja, simplesmente funcione!


Interessante perceber também, principalmente no âmbito administrativo, que a isso se aplica principalmente, “o modo como um ser vivo se organiza” (outro fator morfológico) e, portanto, presume-se que, por exemplo, se um arquivo qualquer não estiver organizado por ordem alfabética, mas sim, pelo valor de prioridades que ele tenha para quem o compôs, não estará por esse motivo, desorganizado. Estará somente em uma ordem mais particular do que, específica.


Provavelmente seja esse o motivo das pessoas dizerem “deixa que eu me encontro na minha bagunça” e/ou o mesmo motivo que leva outras, a estarem constantemente perdidas dentro de suas próprias meticulosidades.

A alteração da ordem, dentro de uma rotina de “bagunça organizada”, ou de “ordem ortodoxa” em um ambiente administrativo, pode causar prejuízos no sistema de organização padrão, outrora projetado com a ideia de desenvolvimento.


Assim, é preciso que os gestores, levem sempre em consideração que cada colaborador, apresenta uma forma particular de pensar para se organizar, e, partindo desse princípio, transmita o tipo de organização que deles se espera, dentro do respeito e tolerância devidos, para que haja uma compatibilidade ao modus operandi esperado.


Isso porque, segundo CHIAVENATO (2000), “O ambiente psicológico (ou ambiente comportamental) é o ambiente tal como é percebido pela pessoa. Mais do que isso, é o ambiente relacionado com as atuais necessidades do individuo.” (CHIAVENATO, 2000, p.83,84)


É preciso levar em consideração também, que as formas de organização vêm sofrendo mudanças promovidas pelas tecnologias e, assim, sempre que possível, redesenhá-las com novas propostas, sempre será uma alternativa facilitadora de alcance de metas empresariais.


Vale colocar aqui que, a desorganização ou o sentimento de que algo está desorganizado, costuma provocar desânimo em um pessoa. Esse desânimo, costuma agir como “uma faca de dois gumes”, ou seja: a pessoa passa a ficar desanimada porque se sente desorganizada e/ou acaba se desorganizando porque ficou desanimada e...ninguém atinge metas com desânimo!


Em seus estudos sobre a “Teoria de Tempos e Movimentos de Taylor”, Chiavenato concluiu que a maioria das atitudes que os funcionários adotavam, tinham relação direta com algum tipo de causa pela qual passavam (irritabilidade, tensão excessiva, outras).


Conseguir unir satisfações individuais aos objetivos da empresa tem sido o grande desafio de líderes e gestores.


Isso porque, não apenas pela real preocupação com o bem estar de suas equipes, mas também, devido ser a motivação, um dos grandes influenciadores do aumento de produtividade.


A organização, desorganizada ou não, pode representar uma nova oportunidade estratégica de comunicação, aproveitada por gestores e líderes a título de implementação de novas formas no pensar e agir de suas equipes, com vistas a novos e bons resultados para a empresa.


BIBLIOGRAFIA:

CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. 2°edição. Rio de Janeiro: Campus, 2005. p.83-84.

7 visualizações

POSTS RECENTES

© 2019 Gutemberg Leite. Todos os direitos reservados.